A pesquisa de engajamento territorial

Bianca Ramos, coordenadora da pesquisa de engajamento territorial, consultora em educação e cultura

Equipe que desenvolveu a pesquisa: Bianca Ramos, Verônica Nascimento e Daiane Brasil

  • O que motivou a realização de uma pesquisa junto à população do entorno do Sítio Burle Marx??

 

Uma questão fundamental que se impõe atualmente aos equipamentos públicos, e em especial a espaços de cultura, preservação e fruição, é o quão relevantes são capazes de ser. Com todos os desafios impostos pelas cidades, e o Rio de Janeiro conjuga muitos deles de maneira muito específica, ser parte corresponsável pelas dinâmicas, desafios e proposições traçadas nos territórios é de fundamental importância, não só pelo óbvio valor e impacto disso para o próprio equipamento, mas também para que sua missão seja efetiva para as pessoas que pretende receber e com as quais busca se relacionar.

 

Essa concepção, que também passa pela compreensão da sua função pública e democrática, é base fundamental da ação cotidiana do Sítio Roberto Burle Marx. E neste sentido,  foi fundamental olhar afetiva e sistematicamente para o território, ora pensando o entorno, ora pensando a cidade, para traçar os caminhos para o futuro, tendo como farol esse olhar compartilhado pela equipe, pela comunidade e pela rede institucional com os quais o Sítio já dialogava ou potencialmente poderia dialogar.

  • Qual os aprendizados e potenciais trazidos por esse diálogo com as pessoas?

 

Foram muitos os achados desse processo, que seguem sistematizados na publicação que resulta da pesquisa, disponível aqui para download. Destacamos dentre eles o desvelamento da percepção da vizinhança sobre o que é o equipamento, e a partir disso as inúmeras estratégias que podem ser desenvolvidas para uma comunicação mais efetiva no nível local. Outro ponto muito interessante foi constatar como a percepção da população local se qualifica quando mediada ou viabilizada pela  escola, uma parceria fundamental e muito potente que estamos discutindo no Programa Educativo.

 

  • Que linhas de ações resultaram desse trabalho?

 

O Roberto Burle Marx e sua história e o Sítio, estão presentes no imaginário das pessoas com quem conversamos de forma muito afetiva. Todas as conversas em Barra de Guaratiba e nos pontos escolhidos para além dos limites do bairro, foram resultado de interesse e curiosidade genuínos. Em muitos casos as portas foram abertas por uma lembrança de infância ou uma reverência pessoal ao próprio paisagista e artista. Esse ambiente é muito potente para a construção de pontes e ações articuladas. Há ainda muito o que pode ser construído a partir das sementes que o Roberto, o Sítio e mais recentemente esse trabalho de campo semearam.

 

Um desdobramento já em processo é o desenvolvimento de recursos de apoio ao programa educativo do Sítio e o desenho de um piloto de articulação sistemática com uma das escolas do entorno direto do equipamento. Em breve teremos novidades!

Leia as demais entrevistas com parceiros do Intermuseus no processo de Requalificação:

A requalificação museológica
A requalificação arquitetônica
Show More
A requalificação e a articulação com as comunidades
A requalificação, a pesquisa e o acesso à coleção
Show More

Copyright © 2017 - Intermuseus

  • EMAIL
  • Facebook
  • Instagram